Fornecendo seu histórico médico

Fornecendo seu histórico médico

A princípio, o médico provavelmente perguntará sobre seu histórico médico. Você tem alguma doença crônica? Que doenças e operações você teve no passado? Quais medicamentos você está tomando, se houver algum? Seu médico também deve perguntar sobre seu bem-estar psicológico e estilo de vida: Você sofre (ou já sofreu) de depressão?Você está sob muito estresse? Você bebe álcool? Fumaça? Use drogas ilegais? Você já sentiu uma perda de afeto pelo seu parceiro? Você cresceu recentemente interessado em um novo parceiro?

Como parte deste histórico de saúde, esteja preparado para informar ao seu médico detalhes específicos sobre os sintomas que o levaram ao consultório e quando eles começaram. Seu médico pode querer saber com que frequência você teve relações sexuais antes do início do problema e se houve semanas ou meses no passado, quando teve disfunção erétil. Seu médico pode realizar um teste de triagem escrito ou verbal.

Se a causa estiver clara – uma operação recente para o câncer de próstata, por exemplo – a conversa pode passar diretamente para suas opções de tratamento. Caso contrário, você pode precisar responder a mais perguntas para ajudar o médico a diminuir as possíveis causas e evitar testes desnecessários.

Uma questão fundamental é se os sintomas surgiram gradualmente ou repentinamente. A disfunção erétil que surge gradualmente, muitas vezes aponta para causas que envolvem o fluxo sanguíneo ou nervos. Por outro lado, uma perda súbita de desejo sexual ou a capacidade de ter ereções geralmente sugere que uma medicação ou dificuldade psicológica, como depressão ou estresse, pode ser a culpada. Não se sinta envergonhado se o médico lhe perguntar sobre ereções matinais ou se você conseguir uma ereção se se masturbar. A capacidade de fazer isso é uma pista importante para determinar se o problema é psicologicamente ou fisicamente baseado (ver Tabela 1).

Tabela 1: Diagnosticando o problema

Possível causa de disfunção erétil O que o médico faz
Vascular (sistema circulatório) Leva sua pressão arterial e ouve seu coração. Verifica o pulso na virilha e nos pés. Verifica seu abdome para aneurisma da aorta.
Neurológico (sistema nervoso) Testes reflexos de seus joelhos e tornozelos, bem como ânus.Verifica a sensação em suas pernas e pés.
Hormonal (endocrine system) Avalia o tamanho testicular e o desenvolvimento das mamas.Verifica sua glândula tireóide.
Local (sistema reprodutivo) Examina seu pênis para a doença de Peyronie. Verifica sua próstata.
Psicológico (estresse, ansiedade, emocional) Avalia a história do problema, especialmente se começou de repente e se as ereções noturnas são afetadas.

O exame físico

O exame físico para diagnosticar a causa da disfunção erétil geralmente leva cerca de 10 a 15 minutos. O médico irá ouvir o seu coração em busca de sinais de murmúrio e outras anormalidades que possam afetar o fluxo sanguíneo. Ele ou ela também irá tomar sua pressão arterial; tanto a pressão arterial alta como a baixa podem prejudicar o fluxo sanguíneo. O médico irá verificar o seu pulso em vários lugares – no pulso, tornozelo e virilha. Pulso lento ou lento em qualquer uma dessas áreas pode significar que não há sangue suficiente atingindo os tecidos nas extremidades, incluindo o pênis.

Além disso, o médico examinará seus testículos, pênis e peito. Testículos anormalmente pequenos e seios aumentados são às vezes sinais de testosterona inadequada. Manchas de cicatrizes sentidas no pênis sugerem a doença de Peyronie. Seu médico pode verificar a próstata em busca de sinais de infecção ou câncer, fazendo um exame retal digital. Seu médico também pode testar problemas neurológicos verificando os reflexos nas pernas, na virilha e no ânus.

Leia também: https://www.mulherk.com.br/xtra-gel-funciona/

Seu exame provavelmente incluirá testes de colesterol (para avaliar seu risco de doença cardiovascular) e triglicerídeos e níveis de açúcar no sangue (para verificar se há diabetes). O médico também pode pedir uma amostra de urina, porque a presença de sangue pode ser um sinal de uma doença urológica, como o câncer de bexiga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *